Skip to main content

Itália: Firenze

Morei em Firenze em 2009, muitos anos atrás. Foram apenas alguns meses, para estudar italiano. Na época já gostava de comer e cozinhar mas a minha relação com a comida definitivamente não era como hoje, então voltar com essa nova visão foi bem interessante.

Firenze é uma cidade incrivelmente bonita. Porém, completamente cheia de grandes lojas e turistas, o que incomoda bastante, quase demais. Mas a beleza da cidade e seus prédios compensam. O Duomo é sem dúvida nenhuma um dos prédios mais incríveis que já vi na minha vida. Desenhada por Brunelleschi, ele tem uma escala descomunal (se você olhar de longe o tamanho dele não faz sentido nenhum do lado dos outros prédios), uma fachada toda desenhada de mármore branco, verde e rosa e uma cúpula que desafia as leis da engenharia. Lembro perfeitamente como fiquei completamente chocado quando cheguei na cidade e vi ele à noite. E depois chocado novamente quando subi na sua cúpula e vi o quando ele é alto.

Em Firenze provei novamente várias das comidas e pratos típicos que gostava de lá. O principal foi a Bistecca alla Fiorentina que comi em uma Fiaschetteria, como se chama os restaurantes que servem carne na Toscana. Um pedaço gigantesco de carne (um corte parecido com o T-bone) cozido levemente na grelha à carvão. Tão levemente que o interior dela é completamente cru, vermelho quase azul. A ponto de você olhar para a mesa do lado pra se certificar que tá tudo certo comer aquela carne tão crua. Mas está mais do que certo, a maciez dela é algo inacreditável e o sabor suave da carne com o defumado da parte chamuscada do exterior faz dela um dos melhores ‘churrascos’ que já provei. Depois da Bistecca, um prato de Biscotti de amêndoas para molhar em um copinho de Vinsanto, um vinho de sobremesa forte e levemente doce da Toscana. Comi também um belo Panino al Lampredotto, a famosa tripa. Um pão toscano recheado com pedaço de um dos intestinos do boi bem cozidos, bem saborosos e bem macios. O melhor de todos fica em um trailer na frente do mercado central, que hoje é quase mais uma atração turística do que um bom mercado, mas vale a visita.

O prato que decidi fazer em casa porém, foi uma Panzanella, que não provei na cidade porque é um prato de verão, mas é um vício recente que tenho feito em casa sempre que sobra um pedaço de pão. Panzanella é uma salada de pão dormido e tomate, um clássico do verão toscano, quando os tomates estão especialmente saborosos. A receita está neste post aqui.

Deixe um comentário