Skip to main content

Tartine de Queijo Feta, Geleia de Figo e Cebola Caramelizada

Essa é uma receita que fiz para usar o doce de figos que tinha em casa. Um doce que é bem especial para mim, pois é feito lá no sítio da minha família e é uma das maiores tradições dos Dal Bó. Lá chamamos de Figada. É o doce que tem o gosto da minha infância e sempre fui acostumado a comer ela apenas no pão com manteiga, por isso decidi usar aqui em um prato salgado: uma tartine com queijo de cabra. A tartine é tipo um sanduíche aberto francês, quase como uma bruscheta maior, e mais uma refeição do que uma entrada. Os sabores ficaram incríveis, queijos e figos são um clássico. O salgado do queijo de cabra com o doce do doce de figos, cebolas caramelizadas macias e um bom pão crocante.

Agora um pouco sobre a Figada. Todo ano, desde antes de eu nascer, acontece o dia da Figada. Uma história que começou com minha Bisavó, a Vó Elsa, que fazia o doce com os figos do quintal da sua casa, e desde então acontece quase todo ano (salvo algumas exceções). Lá pelo verão, quando é época de figos, a família se reúne para preparar a figada, no tacho de cobre, como minha bisavó sempre fez. Kilos e kilos de figo são moídos e misturados com mais kilos e kilos de açúcar e cozidos por diversas horas. O resultado é um doce bem consistente, escuro e cheio de sementinhas claras, quase um céu estrelado. Quando o doce fica pronto vem a melhor parte: a raspa do tacho. Acontece uma distribuição de colheres e todos ficam ao redor raspando a figada que sobrou lá, uma das melhores lembranças da minha infância. Esse ano infelizmente não pude participar do dia da Figada, mas para minha felicidade recebi um pote aqui em casa. Em breve pretendo registrar um dia desses aqui para o blog.

Tartine de Queijo Feta, Geleia de Figo e Cebola Caramelizada

No primeiro teste dessa receita eu cozinhei a cebola com uma col. de açúcar mascavo. A cebola ficou ótima, mas no conjunto tudo acabou ficando doce demais, já que a geleia de figos é bem doce. Se for usar uma que não seja muito doce pode adicionar o açúcar na hora de cozinhar as cebolas.
Rendimento 4 tartines

Ingredientes

  • 4 fatias de pão, algum bom, tipo italiano
  • 8 fatias (+/- 100g) de queijo feta, ou algum outro queijo de cabra/chèvre
  • 4 col. de sopa de geleia ou doce de figo
  • 2 cebolas roxas
  • alguns ramos de tomilho (opcional)
  • Pré-aqueça o forno a 200ºC.
  • Descasque e fatie as cebolas. Aqueça uma colher de azeite em uma frigideira e refogue as cebolas, em fogo médio-baixo. Adicione as folhas de tomilho logo depois e cozinhe até que elas murchem bastante e fiquem com uma cor escura, uns15 a 20 minutos, tomando cuidado para não queimar.
  • Enquanto a cebola cozinha, prepare o resto da tartine.
  • Espalhe um pouco de azeite de oliva sobre as fatias de pão e leve ao forno.
  • Aqueça por 5 minutos. Retire e espalhe o queijo feta por cima. Leve de volta ao forno por mais 10 minutos.
  • Retire do forno, espalhe a geleia de figo e leve ao forno uma última vez por mais uns 5 minutos.
  • Retire, divida a cebola caramelizada entre as fatias e sirva quente.
Imprimir

3 Comentários

  • Luciane David disse:

    Olá Angelo!

    Nossa, com esse teu post, me fizestes voltar a minha infância. Também fui criada fazendo figada, lá pelo mês de fevereiro, no tacho de cobre e tudo mais. Essas lembranças são inesquecíveis e aquele gostinho ficou para sempre na boca. Sempre ajudava minha tia, que se juntava a outras senhoras para fazer a “tal” figada e era trabalho para o dia inteiro. Era num sítio lá no balneário Santa Rita, talvez tu conheças. Elas tinham um local apropriado, tipo um fogão de chão, onde faziam o fogo e encaixavam o tacho. Essa lembranças não tem preço. Um forte abraço.

    • dalbo disse:

      Que legal Luciane! São lembranças lindas mesmo. Fico bem feliz por ter vivido isso, assim como você. Beijo grande!

Deixe um comentário